Primeiro-ministro britânico pede a Putin para recuar do "precipício"

14/02/2022

“A situação é muito, muito perigosa e difícil, estamos à beira do precipício, mas ainda há tempo para o Presidente Putin recuar”, disse Boris Johnson, numa declaração televisiva, quando o Ocidente acusa Moscovo de estar a preparar uma invasão à Ucrânia.

“Apelamos a todos ao diálogo (…) para evitar o que seria um erro catastrófico”, acrescentou o primeiro-ministro britânico, apesar de Kiev ter acusado Washington e Londres de alarmismo sobre os riscos de uma intervenção russa iminente.

Boris Johnson assegura que as evidências de uma invasão russa são “muito claras”.

“Os sinais mostram, como disse o Presidente (dos EUA), Joe Biden, que eles (russos) estão a planear algo que pode acontecer nas próximas 48 horas”, disse Boris Johnson, depois de o Governo britânico, na sexta-feira, ter aconselhado os cidadãos a abandonar a Ucrânia.

“É importante que estejamos todos juntos e mostremos uma frente unida, especialmente no que diz respeito a sanções económicas”, acrescentou Johnson, sobre a atitude do Ocidente.

O primeiro-ministro britânico deverá viajar para a Europa continental no final da semana, para conversar com líderes dos países nórdicos e bálticos.

Há duas semanas, Boris Johnson esteve em Kiev para demonstrar o apoio a Ucrânia, para onde o seu Governo ter enviado mísseis antitanque.

Vários países europeus que já pediram aos seus cidadãos que deixem a Ucrânia o mais rapidamente possível, incluindo Espanha, Alemanha, Reino Unido, Países Baixos, Dinamarca, Suécia e também Portugal.


Faixa Atual

Título

Artista