NATO muda pessoal de Kiev para oeste do país por razões de segurança

19/02/2022

“A segurança do nosso pessoal é o principal por isso todos foram recolocados em Lviv e Bruxelas”, assinalaram as mesmas fontes, que reforçaram que as delegações da NATO na Ucrânia “continuam a funcionar”.

Salientaram que a NATO e os países seus aliados estão “a seguir e a avaliar a situação de perto”, que continuam a “tomar todas as medidas necessárias” e que continuam a “pedir à Rússia para que reduza a tensão e escolha o caminho da diplomacia”.

Os Estados Unidos anunciaram a mudança temporária da sua embaixada na Ucrânia de Kiev para Lviv, a maior cidade do oeste da Ucrânia, para longe da zona de tensão no leste.

Alemanha, França e Áustria apelaram hoje aos seus cidadãos para abandonarem a Ucrânia, seguindo os mesmos passos dos Estados Unidos, União Europeia, Reino Unido, Espanha e Grécia.

O Ocidente e a Rússia vivem atualmente um momento de forte tensão, com o regime de Moscovo a ser acusado de concentrar pelo menos 150.000 soldados nas fronteiras da Ucrânia, numa aparente preparação para uma potencial invasão do país vizinho.

Moscovo desmente qualquer intenção bélica e afirma ter retirado parte do contingente da zona.

Entretanto, nos últimos dias, o exército da Ucrânia e os separatistas pró-russos têm vindo a acusar-se mutuamente de novos bombardeamentos no leste do país, onde a guerra entre estas duas fações se prolonga desde 2014.

Os líderes dos separatistas pró-russos de Lugansk e Donetsk, no leste da Ucrânia, decretaram hoje a mobilização geral para fazer face a este aumento da violência.

Os observadores internacionais da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) informaram na sexta-feira que as violações do cessar-fogo na região registaram um “aumento significativo”, com mais de 800 violações só na sexta-feira, mais do triplo da média do último mês.


Opnião dos Leitores

Leave a Reply

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Faixa Atual

Título

Artista