Marcelo pede um governo “que possa refazer esperanças” e exige “rigor e transparência” na utilização do PRR

01/01/2022

Consolidar o combate à pandemia, decidir sobre um governo para quatro anos capaz de “refazer esperanças e confiança perdidas”, usar com “rigor e transparência” o PRR, reinventar as vidas “congeladas” pela pandemia e “virar a página”. Estes são os desejos de Marcelo Rebelo de Sousa para 2022.

Marcelo pede um governo

Da habitual mensagem de Ano Novo do Presidente da República ficaram cinco motes: consolidar, decidir, reinventar, reaproximar, virar a página.

Marcelo Rebelo de Sousa começou salientar que os primeiros meses de 2021 “foram quase mais duros do que [os primeiros meses] de 2020, em pandemia, com paragem económica, crise social, descompensação nas pessoas e desgaste nas instituições”.

Mas, salienta, “resistimos, vacinámos, reabrimos escolas, pusemos a economia a arrancar, exportamos, recebemos turistas, ensaiámos começar de novo, tivemos tempo de reeleger por aclamação António Guterres nas Nações Unidas e aprovar na nossa presidência europeia o certificado digital, os fundos para os próximos anos, e a lei do clima”. Tudo isto “no meio da pandemia, que teimou persistir no final do ano e que nos obriga, serena, mas teimosamente, a testar e a resistir e a com ela aprender a conviver — com a paciência de quem já viveu quase 900 anos, já teve milhares de crises e ultrapassou-as o melhor que pode”.

Porque as notícias não escolhem


Faixa Atual

Título

Artista