Japão e Índia iniciam manobras aéreas conjuntas perto de Tóquio

16/01/2023

A formação, que decorre na Base Aérea de Hyakuri (Ibaraki, nordeste de Tóquio) e envolve oito caças japoneses, vai prolongar-se até 26 de janeiro, disse o ministério.

Quatro caças, dois aviões de transporte e um petroleiro de reabastecimento aéreo participam do lado indiano.

O exercício foi adiado devido à pandemia da covid-19, depois de ter sido acordado, pela primeira vez, entre os ministros dos Negócios Estrangeiros e da Defesa dos dois países, numa reunião de segurança em Nova Deli, realizada em novembro de 2019.

Em setembro passado, os dois países concordaram em reforçar a colaboração em matéria de segurança com iniciativas concretas, tais como exercícios conjuntos destinados a “manter um Indo-Pacífico baseado no Estado de direito e livre de coerção”.

Tanto o Japão como a Índia procuraram reforçar as capacidades militares em resposta à ascensão militar da China, com a qual Tóquio e Nova Deli têm disputas territoriais, e no contexto de tensões crescentes na região Ásia-Pacífico.

A Índia é também o quinto país com o qual o Japão organizou tais exercícios bilaterais, depois de Estados Unidos, Austrália, Reino Unido e Alemanha, de acordo com o Ministério da Defesa japonês.

O Japão e a Índia são também membros do grupo Quad, juntamente com a Austrália e os Estados Unidos, um quadro de defesa multilateral que procura consolidar-se em resposta à crescente influência de Pequim na região. Os líderes do grupo realizaram a última cimeira em maio de 2022, em Tóquio.

Leia Também: Japão vê como uma “ameaça” manobras aéreas entre russos e chineses


Faixa Atual

Título

Artista