Hóquei. Argentina dá a volta frente a Portugal e é a nova campeã mundial

14/11/2022

Não se escreveu história em português na cidade argentina de San Juan. A seleção portuguesa masculina de hóquei em patins falhou, este domingo, a revalidação do título de campeão do mundo da modalidade, depois de perder na final contra a seleção anfitriã, por 4-2.

Depois do título conquistado em 2019 na cidade espanhola de Barcelona, e também contra a seleção anfitriã, a equipa orientada por Renato Garrido procurava repetir o mesmo pecúlio e entrou no encontro com o pé direito rumo a esse objetivo.

Logo aos três minutos, o hoquista Henrique Magalhães abriu o marcador num pavilhão Aldo Cantoni repleto e sem espaço para mais ninguém. O português acabaria mesmo por bisar aos 15 minutos, após um remate colocado e sem hipótese.

A formação da casa reagiu à desvantagem perto do intervalo. Pablo Álvarez marcou para a Argentina com um remate brilhante quase sem ângulo para a baliza portuguesa. Os lusos procuraram reagir de seguida e estiveram perto de marcar o terceiro por intermédio de João Rodrigues.

No reatamento do encontro, Portugal voltou a estar perto de marcar de novo por Henrique Magalhães, mas acabaram por ser os argentinos a chegar ao empate. Depois de Telmo Pinto ver um cartão azul, Carlos Nicolía dispôs de um livre direto e converteu-o com sucesso, levando à loucura os milhares de argentinos presentes nas bancadas do pavilhão Aldo Cantoni.

Galvanizados pelo grande ambiente que se fazia sentir na cidade de San Juan, os argentinos completaram a reviravolta no marcador aos 40 minutos. Após um erro de Hélder Nunes, Álvarez isolou-se e colocou a Argentina na frente. Girão defendeu num primeiro momento, mas depois a não conseguir impedir que a bola entrasse.

Até ao apito final, Portugal correu atrás do prejuízo para alcançar o empate. Os argentinos até atiram um novo livre direto ao poste, mas não foi suficiente para que a equipa nacional alcançasse o 17.º título de campeão mundial. Já sem o guarda-redes Ângelo Girão na baliza, os sul-americanos aproveitaram um contra-ataque e Mena assinou o quarto no segundos finais. Foi o golo que selou o sexto título de campeão do mundo dos albicelestes.


Opnião dos Leitores

Leave a Reply

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Faixa Atual

Título

Artista