EUA admitem ataques informáticos russos em redes ucranianas

16/02/2022

De acordo com o jornal Washington Post, que cita um relatório dos serviços de informações dos Estados Unidos (desclassificado), os piratas informáticos russos podem ter-se introduzido nos sistemas para provocarem interrupções em caso de novo ataque militar da Rússia contra a Ucrânia. 

Segundo a mesma notícia, Moscovo “pode interromper” a atividade das instituições ucranianas responsáveis pelos serviços essenciais como a distribuição de eletricidade, transportes, finanças e telecomunicações no sentido de favorecer uma operação militar e instalar o caos e provocar a instabilidade no país.

O relatório frisa que os Estados Unidos admitem que a Rússia pode levar a cabo atividades cibernéticas, mas um funcionário dos serviços de informações, não identificado, consultado pelo jornal refere se desconhece a verdadeira intenção de Moscovo.

“Não sabemos se (a Rússia) tem intenção (de levar a cabo ataque) mas temos estado a trabalhar com a Ucrânia para fortalecer as defesas cibernéticas”, afirma a fonte do Washington Post que falou sob anonimato. 

Na terça-feira, o Centro de Comunicações Estratégicas e de Segurança do governo da Ucrânia disse que o PrivatBank, o maior banco comercial ucraniano, foi alvo de um ataque informático que interferiu temporariamente nas transações bancárias através da internet.

O serviço foi restabelecido em poucas horas, disseram as autoridades de Kiev.

Os portais oficiais do Ministério da Defesa e das Forças Armadas da Ucrânia também foram interrompidos, mas o governo da Ucrânia não se pronunciou sobre os alegados autores dos supostos ataques informáticos.

As autoridades ucranianas temem ataques cibernéticos de grande intensidade caso o conflito na Ucrânia se venha a agravar ou em caso de virem a ser impostas novas sanções contra Moscovo, refere ainda o Washington Post.

Na passada sexta-feira, a assessora adjunta da Segurança Nacional da Casa Branca para a Cibersegurança e Tecnologias, Anne Neuberger, realizou um exercício de simulação para assegurar que os vários departamentos federais norte-americanos estão preparados para ataques informáticos russos, em caso de conflito com Moscovo.

Segundo a mesma notícia, as ações russas podem incluir ataques informáticos contra a Ucrânia e contra qualquer membro da Aliança Atlântica.

“Queremos preparar-nos para todos os cenários”, disse a fonte do Washington Post.

O jornal recorda que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse na terça-feira que se a Rússia agir contra os Estados Unidos ou aliados de Washington “através de ataques cibernéticos” (contra empresas e infraestruturas fundamentais), a Administração norte-americana está “preparada para responder”.


Faixa Atual

Título

Artista