Com a guerra por perto, Lituânia aperta estado de emergência e liberdades

10/03/2022

A Lituânia foi o primeiro país da União Europeia a declarar o estado de emergência devido à invasão russa na Ucrânia, e vai apertar ainda mais as medidas de emergência.

Segundo a Reuters, o país banhado pelo Báltico, que faz parte da NATO e tem acolhido um reforço de tropas e armamento como resposta à invasão russa, vai restringir a liberdade de imprensa para evitar a disseminação de propaganda.

As medidas aprovadas pelo parlamento lituano preveem a suspensão de meios de comunicação pela polícia até 72 horas por “desinformação”, “propaganda de guerra” e “incitamento ao ódio”.

Estas decisões durarão até dia 20 de abril.

Ingrida Šimonytė, primeira-ministra da Lituânia, disse ao parlamento que “a moção limita a possibilidade de dizer ‘Putin é grande’ em reuniões públicas”, e argumentou que “ninguém no parlamento está interessado” em ver a propaganda russa “envenenar a determinação do povo lituano em ajudar a Ucrânia”.

O país faz fronteira com a Bielorrússia, o mais importante aliado de Vladimir Putin e do regime do Kremlin, e tem sido uma das plataformas usadas pela NATO para enviar armas e ajuda à Ucrânia.

A Lituânia era uma das 15 repúblicas soviéticas, tornando-se independente da URSS em 1990. Desde então, o governo de Vilnius virou-se para o Ocidente, entrando na NATO e na União Europeia em 2004.

O apoio do país à Ucrânia foi demonstrado quando o governo da capital lituana mudou a morada da embaixada russa para “Rua dos Heróis Ucranianos”, à semelhança do que foi feito em outras capitais europeias no leste europeu.


Opnião dos Leitores

Leave a Reply

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Faixa Atual

Título

Artista