Cocaína adulterada na Argentina continha analgésico para elefantes

10/02/2022

Foi detetado carfentanil, um analgésico opióide de uso veterinário utilizado para anestesiar animais de grande porte, como elefantes ou ursos, na cocaína adulterada que causou 20 mortes na Argentina.

A informação é avançada pela imprensa local, que teve acesso a relatos de peritos que analisaram a substância.

O diário argentino Clarín diz que a conclusão de dois estudos independentes é “a substância utilizada para aumentar o cloridrato de cocaína, encontrada em várias amostras apreendidas” é o carfentanil. 

Quer os peritos do laboratório da Promotoria de Munro quer os do laboratório da Polícia Científica de Buenos Aires terão chegado à mesma conclusão.

Inicialmente, a suspeita era de que a droga estivesse adulterada com fentanil.

Cerca de 30 pessoas permanecem hospitalizadas na Argentina devido ao consumo de cocaína adulterada, que já causou 20 mortes desde a semana passada e levou as autoridades a manter um “alerta epidemiológico” para intoxicação por opiáceos.

Na semana passada, o testemunho de um dos toxicodependentes afetados permitiu às forças policiais estabelecer que a droga apreendida foi comprada nas proximidades de Puerta 8, uma povoação localizada na localidade de Tres de Febrero, em Buenos Aires.

As forças policiais lançaram rapidamente operações envolvendo 1.500 agentes e o próprio ministro provincial da Segurança, Sergio Berni.

Durante as buscas na área, a polícia apreendeu entre 12.600 e 13.600 doses prontas para consumo, embaladas de forma semelhante às compradas pelas vítimas.

Além disso, cerca de uma dúzia de pessoas foi presa por suspeita de fornecer a cocaína adulterada, incluindo um alegado líder da droga chamado Joaquín Aquino, conhecido como “El Paisa”, que era procurado desde 2018.


Opnião dos Leitores

Leave a Reply

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Faixa Atual

Título

Artista