Autarca de Kyiv fala do "pior inverno desde a II Guerra Mundial"

23/11/2022

O presidente da câmara de Kyiv, Vitali Klitschko, anunciou, esta quarta-feira, que a capital ucraniana enfrenta, atualmente, o “pior inverno desde a II Guerra Mundial”, na sequência dos ataques russos sobre as infraestruturas energéticas do país.

Numa entrevista ao jornal alemão Bild, o autarca alertou que os residentes da cidadão devem estar preparados para o “pior cenário” de cortes de energia generalizados num contexto de baixas temperaturas, como é típico do inverno ucraniano.

Caso isso acontecesse, prosseguiu, partes da capital ucraniana poderão vir a ter de ser evacuadas.

“Temos também de nos preparar para o pior cenário. Isso seria se existissem cortes de energia generalizados e as temperaturas fossem ainda mais baixas. Então, partes da cidade teriam de ser evacuadas, mas não queremos que se chegue a esse ponto”, explicou Vitali Klitschko.

O autarca da capital ucraniana acusou o presidente da Rússia, Vladimir Putin, de tentar intimidar as pessoas e forçá-las a sair da cidade, através do bombardeamento de infraestruturas civis.

“Putin quer aterrorizar as pessoas, fazê-las congelar, sem luz. Mas isso não vai acontecer. A minha impressão é que as pessoas só vão ficar mais zangadas, mais determinadas. Não vamos morrer ou fugir como Putin quer”, concluiu o presidente da Câmara local.

As declarações foram proferidas numa altura em que prosseguem as hostilidades no terreno. Desta quarta-feira destacam-se os ataques russos sobre a capital ucraniana, Kyiv, que resultou na morte de, pelo menos, três pessoas. Durante a noite, registou-se um ataque de Moscovo sobre uma maternidade em Vilniansk, nos arredores da cidade de Zaporíjia, que tirou a vida a um recém-nascido.

A guerra na Ucrânia, que teve início a 24 de fevereiro, provocou já mais de 6.500 mortes entre civis, de acordo com os mais recentes cálculos da Organização das Nações Unidas (ONU). Pelo menos 437 crianças perderam a vida na sequência desta ofensiva, com outras 837 a terem ficado feridas.

Leia Também: Kyiv reclama ter abatido 51 de 70 mísseis russos


Opnião dos Leitores

Leave a Reply

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Faixa Atual

Título

Artista