Alemanha convoca embaixador do Irão após execução de iraniano-britânico

16/01/2023

O Irão anunciou no sábado a execução de um ex-alto funcionário do Ministério da Defesa iraniano, Alireza Akbari, cidadão iraniano-britânico, condenado à morte por espionagem para os serviços de inteligência britânicos, o que provocou a indignação de países ocidentais e organizações não-governamentais (ONG).

Questionado por um jornalista, o porta-voz do Ministério alemão, Christofer Burger, declarou que esta convocação aconteceu “por causa das violações massivas dos direitos humanos e das ondas de execuções”.

É a segunda vez em oito dias que o Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão convoca o embaixador iraniano. Na passada segunda-feira, o diplomata recebeu o protesto do Governo alemão contra a recente execução de dois homens no âmbito das manifestações desencadeadas pela morte de Mahsa Amini.

Veterano da guerra Irão-Iraque (1980-1988), Alireza Akbari foi vice-ministro da Defesa para os Negócios Estrangeiros, chefe de unidade num centro de investigação ministerial e assessor do comando da Marinha, segundo a agência de notícias oficial iraniana Irna.

Akbari ficou preso entre março de 2019 e março de 2020, segundo a Irna.

O Irão foi abalado por protestos que eclodiram após a morte em 16 de setembro de Mahsa Amini, uma curda iraniana de 22 anos, após a sua detenção pela polícia da moralidade iraniana por estar alegadamente a usar o véu islâmico de forma incorreta.

Dezoito pessoas foram condenadas à morte em conexão com os protestos, de acordo com um levantamento realizado pela agência de notícias AFP a partir de anúncios oficiais.

Quatro destes condenados já foram executados pelas autoridades iranianas.

Os confrontos com as forças de segurança iranianas já provocaram dezenas de mortos e centenas de feridos entre os manifestantes, de acordo com as ONG.

Leia Também: UE condena “execução” do britânico-iraniano Alireza Akbari no Irão


Faixa Atual

Título

Artista